Mico-leão-de-cara-dourada

Mico-leão-de-cara-dourada (Leontopithecus chrysomelas)

Reino:
Animalia

Filo:
Chordata

Classe:
Mammalia

Ordem:
Primates

Família:
Callitrichidae

Gênero:
Leontopithecus

Nome Científico/Espécie:
Leontopithecus chrysomelas

Nome Popular:
Mico-leão-de-cara-dourada

Alimentação:
Alimentam-se de frutos, insetos, alguns fungos, pequenos vertebrados e ovos, além de certos exudatos de árvores (seivas e âmbares) e flores abundantes em néctar, que são características de florestas já bem formadas.



Reprodução:
Normalmente nascem duas crias após uma gestação de cerca de 120 a 140 dias.

Características:
Tem a cor dourada apenas na face, nuca e dorso dianteiro, pelagem negra brilhante cobrindo todo o corpo. Pele do rosto, planta dos pés e mãos são pretas. Possui uma vasta juba o que originou seu nome. Todos os micos leões possuem cerca de trinta centímetros de comprimento, com a mesma medida de cauda. Pesam por volta de 500 g.
Seu maior perigo é a intensa destruição florestal. Sua população, embora a maior de todos os micos do gênero encontra-se seriamente ameaçada.
Os filhotes do parto anterior ajudam na criação dos seus irmãos. O período de vida é de aproximadamente 15 anos.

Habitat:
O mico-leão de cara dourada subsiste apenas na região do município de Una, no sul baiano. Só uma área muito pequena deste é protegida.

Classificação IUCN:
O mico-leão-de-cara-dourada consta como "Em Perigo", segundo a IUCN e na lista do IBAMA. A Reserva Biológica de Una é a principal unidade de conservação em que a espécie ocorre. Entretanto a população é tamanho reduzido para se manter viável a longo prazo. Além disso, houve uma extrema redução da cobertura vegetal e fragmentação de habitats ao longo de toda sua distribuição geográfica. Ainda assim, é a espécie do gênero Leontopithecus que possui a maior população na natureza, com estimativas variando entre 6.000 e 15.000 indivíduos.