Cãozinho tetraplégico aprende a andar após tratamento

Uma lesão cervical deixou o filhote Jon tetraplégico. Com muitas dores, ele teve a morte induzida recomendada. Mas sua tutora foi até o fim, recorreu a veterinários e decidiu tentar sessões de fisioterapia e acupuntura.

O trabalho duro tem mostrado resultado. Daniela Fais é de Araraquara, no interior de São Paulo, e adotou o cachorro no começo de junho.

Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, ela explica que o diagnóstico de tetraplegia ocorreu já na primeira consulta, no ambulatório veterinário da cidade. No dia seguinte, outra clínica constatou a lesão cervical. “O veterinário disse que não tinha muito o que fazer, pois o socorro havia demorado e sugeriu morte induzida porque disse que ele não teria qualidade de vida. Pra mim isso não bastou”, afirmou Daniela.

Para conseguir pagar a fisioterapia e acupuntura do cãozinho, ela usou o dinheiro que havia guardado para uma viagem. “Gastamos R$ 1 mil em uma semana. Usei dinheiro que eu estava guardando para viajar nas férias”.

“Hoje Jon anda meio desconjuntado, cai às vezes, mas está andando.” O vídeo abaixo, publicado na página oficial do cachorrinho, mostra ele se arriscando a dar seus primeiros passos:

, , , ,