Mais de mil animais feridos pelo furacão Matthew recebem cuidados e afeto de ativistas

No início de outubro, o furacão Matthew atingiu o Haiti, deixando o país e seus habitantes desesperados. Muitas vezes, em situações de desastre natural, as pessoas recebem a maior parte da atenção e compaixão, enquanto os animais são esquecidos.

Porém, animais não humanos não são desconectados de nós. Assim como ocorreu com o terremoto de 2010, a Humane Society International (HSI) entrou em ação e enviou uma equipe de resgate de para oferecer tratamento aos animais no Haiti.

Depois de auxiliar 282 animais em sua primeira visita, eles enviaram uma segunda equipe na  última semana para criar uma clínica veterinária de emergência e assim conseguir abrigar ainda mais animais em necessidade.

Humane Society International

Após de um furacão, os animais que sobrevivem são deixados para viver em lugares inundados ou não higiênicos onde muitas vezes acabam feridos, infectados e desnutridos. Por isso, a HSI criou uma clínica veterinária de emergência para que eles possam ficar fortes e saudáveis.

Juntamente com grupos locais, a HSI estabeleceu clínicas nas áreas mais atingidas pelo furacão e começou a desparasitar, vacinar e fornecer vitaminas para os animais.

A maioria dos animais era burros, cavalos, cabras, porcos e vacas, mas também havia gatos e cães que precisavam de socorro. Muitos que chegaram a uma clínica de emergência estavam gravemente feridos e exigiam cuidados e atenção urgentes.

Foto: Humane Society International

Foto: Humane Society International

Em menos de uma semana, os veterinários ajudaram mais de 1200 animais em quatro comunidades diferentes.

O idioma, de acordo com a Claudia Edwards, diretora de campanha da Humane Society International  do México, foi um dos maiores desafios para as operações resgate.

“As pessoas no Haiti falam créole e era importante explicar não só o que estávamos fazendo, mas como continuar o tratamento, prevenir outras doenças ou lesões e como lidar com os animais adequadamente sem maltratá-los. Felizmente, membros da 4 Patté falavam espanhol, inglês, francês e créole fluentemente”, diz Edwards.

Outro desafio foi conseguir medicamentos e vacinas no Haiti. A HSI planeja trabalhar com funcionários locais para trabalhar em longo prazo na região e, consequentemente, ajudar mais animais, informou o One Green Planet.

, , , , ,