Urso e leão recebem tratamento médico em zoo abandonado pelo Estado Islâmico

Sob o controle do Estado Islâmico, a maioria dos animais no Zoológico de Mosul foi assassinada ou morreu de desnutrição.

Porém, agora os dois animais extremamente magros que restaram no local estão recebendo ajuda médica dos ativistas que decidiram agir para resgatá-los.

Uma equipe veterinária da instituição de caridade Four Paws começou a tratar animais no zoológico de Mumtaz al-Nour, no leste de Mosul, no Iraque.

Foto: AFP, Getty Images

Com sede em Viena, na Áustria, a organização envia trabalhadores humanitários para todo o mundo para resgatar ursos, grandes felinos e animais perdidos.

Os voluntários locais alimentaram um urso com maçãs e limparam as gaiolas imundas. No início deste mês, foi revelado que apenas um urso e um leão sobreviveram na antiga atração turística.

Foto: AFP, Getty Images

Os animais desnutridos foram encontrados por voluntários perto de seus antigos recintos em Nour Park. Enquanto a cidade estava sob o controle do Estado Islâmico, o zoológico foi alvo de bombas da coalizão. A maioria dos animais foi morta por estilhaços e granadas.

Durante o conflito, uma granada atingiu uma jaula de macacos aterrorizados que causaram um caos na região.

Faten Amar, que vive do outro lado da estrada, relatou: “Os macacos estavam pulando nas casas, pegando frutas. Patos e outros animais estavam correndo por aí, todo o bairro teve que correr ao redor tentando pegá-los”.

Foto: AFP, Getty Images

Em imagens chocantes, os animais olham fixamente para fora de suas gaiolas. Os veterinários têm de anestesiá-los para que possam controlá-los. Um voluntário local é visto alimentando o leão com um pássaro morto. A pata do animal faminto se estende com ansiedade.

Em seu apogeu, o zoológico explorava quatro leões. Depois que os dois primeiros morreram, os animais sobreviventes comeram suas carcaças.

No início deste mês, o proprietário do local Abu Omar declarou: “Quando a batalha se intensificou, foi impossível para o guarda e o manipulador de animais alcançá-los”.

Saif al-Bassef, voluntário enviado pela Kurdistan Organisation for Animal Rights,, levou o primeiro alimento substancial para os animais por um mês. “É vergonhoso ver os animais se debatendo, eles precisam de ajuda. Eles não estão ligados à guerra “, disse ele.

Foto: AFP, Getty Images

O parque, que também realiza passeios com crianças, está localizado na metade oriental da cidade que foi recentemente retomada pelas forças iraquianas.

Grupos de crianças brincam nas ruínas do playground, não muito longe de uma bomba não detonada e de um freezer em desuso repleto de artilharia. Antes que os trabalhadores humanitários pudessem aliviar o sofrimento dos animais famintos, as crianças foram ao zoológico para alimentar o leão e o urso.

Foto: AFP, Getty Images

Porém, há poucos alimentos para os animais em uma cidade na qual a população está morrendo de fome. O zoo fica na parte oriental da cidade recentemente liberada pelas forças iraquianas e curdas.

Os animais também estavam sendo alimentados pela Kurdistan Organization for Animal Rights Protection no início do mês, segundo o Daily Mail.

, , , , , ,